free templates joomla

Consciência em Filmes (2012 em diante)

Objetivo: Contribuir para conteúdos em práticas pedagógcas de educação ambiental e em direitos humanos.  A lista de filmes é uma sugestão por objetivos de formação.

Para educação emancipatória: A série Culture in Decline, por Peter Joseph publicou o seu primeiro episódio What Democracy? (jul 2012), apropriada para reflexão sobre o momento eleitoral para presidência dos EUA.  O seu segundo episódio é Economics 101 (out 2012) nos faz perceber onde estão os momentos e espaços em que somos escravos voluntários da economia pensada para o modelo atual.  Já a primeira trilogia Zeitgeist (2007), Zeitgeist Addendum (2008) e, finalmente, o Zeitgeist: Moving Forward (2011) inicia com uma descontrução de várias crenças, mitos e fantasias que incorporamos nas culturas de nossos tempos e, pela densidade e revelação de vários conhecimentos, caem várias cortinas sobre o que pensávamos ser Verdade.  O último filme da trilogia, o Moving Forward propõe uma alternativa visando se realizar coletivamente uma civilização planetária sustentável.   É um filme que nos faz passar da fase de descrição e crítica para uma fase criativa e propositiva para fins de práxis mobilizadora de subjetividades nos diversos ambientes sociais, políticos e econômicos.  Uma alternativa à uma fase de barbárie que se prenuncia nos próximos anos pela crise sistêmica do modelo de reprodução ampliada do capital financeiro.  Outro filme, este lançado em 2013 pelo movimento social campanha 350.org é o Faça as Contas (Do the Math) em que apontam-se quem é quem no movimento das mudanças climáticas e os poderes da indústria do petróleo evitando ou adiando a troca de tecnologias e energias para uso sustentável de energias renováveis. 

Sobre o que é real expresso no tempo e espaço: Matrix (da trilogia, recomendo o primeiro, em que o protagonista acorda e toma consciência que o que vivia era de fato uma programação de estímulos sensoriais na mente e passa, então, a ser sujeito de sua história a partir de um coletivo de humanos já despertos); A Origem (em inglês, Inception); O Homem do FuturoDeja VuA Fonte da VidaAlta Frequência; Efeito Borboleta I e II.  Recomendo também o filme O Preço do Amanhã (In Time), que mostra como podemos chegar a um extremo do momento atual em que tempo é dinheiro, um filme arrasador e alerta da desigualdade social e da exploração do trabalho e do ser humano pelo poder econômico e financeiro do capital financeiro.  

Sobre cérebro e mente: Quem Somos Nós (o número 2 é mais amplo);  A Fonte da VidaO Grande Mestre 1 e 2

Sobre o que não é disseminado ou se mantém oculto: Messages from Water (foi traduzido para o português como O Poder da Água) nos mostra muito mais do que sabemos popularmente sobre a água, impressionante como os pensamentos e as emoções são comunicados pela água, a qual se altera na sua organização em cristais quando congelada, de acordo com a qualidade em planos físico, mental, emocional e etérico da interação água-natureza-humanidade;  O Segredo; não gosto da abordagem materialista da finalidade dos desejos, mas é razoável para mostrar as confrarias secretas e ajuda a empoderar o sujeito não mais apenas como vítima da sociedade, mas autor de sua história, de seus atrasos e de seus desejos.

Sobre a ignorância ou insensibilidade coletiva: A Era do Gelo 2 mostra, de forma cômica, como o degelo acontecia e os seres viventes brincavam, como que cegos ou ignorantes sobre a grande mudança que se anunciava.  Será que não estamos passando para uma situação semelhante?; Ensaio sobre a Cegueira é outro filme que mostra a cegueira como um vírus, mas mostra como as pessoas agiriam se todas ficassem cegas.  O filme Os Sentidos do Amor (Perfect Sense) é um soco no estômago, uma pancada na insensibilidade do cotidiano frenético, nos trazendo de volta para a valoração de cada um dos nossos sentidos em cada gesto, em cada relação.  Um filme maravilhoso para se sair do buraco, da escuridão, da anestesia, passando-se a resgata a experiência estética dos sentidos do amor, do perfect sense.

Sobre elaboração de projetos com finalidades sociais ou ambientais: Quanto vale ou é por quilo? mostra a falácia de muitos projetos para captação de recursos com finalidades de interesse privado revestidas de um discurso de interesse social, sendo um alerta para o quanto é movimentado de recursos para 'salvar ou proteger' crianças, adolescentes ou adultos em risco social, pela fachada, mas é para benefício privado ou interesse excuso de ONGs que são instrumentalizadas para outros fins.  É recheado de cenas, dados e alguma ficção (ou não?).  Saneamento Básico é uma produção da Casa de Cinema de Porto Alegre, excelente produção, elenco, roteiro, que nos faz rir dos jeitinhos que são dados para uso de verba pública na produção de um vídeo, pela fachada, mas é para executar uma obra de fossa comunitária porque não há verba específica para essa rubrica orçamentária.  Hilário e criativo, ao mesmo tempo crítico e revelador de uma história que parece sem fim.

Organização de Eventos e Cursos

Referências p/ Estudos